Publicidade

21.1.14

Tudo sobre decotes no fundo das costas que não o são.

O meu marido, apesar de ser um rapazinho cheio de bom gosto. E com isto quero dizer que nestes três anos não o tive que reeducar na área do vestir.

Sim, admitamos meninas e senhoras, quando iniciamos uma relação, após o primeiro mês (às vezes ainda menos) já estamos a imaginar o que mudaremos, num futuro o mais próximo possível, a forma de vestir deles. 

Vá admitam!! Eles já nos toparam há muito tempo.

Tirando uma ou outra peça que eu achava demasiado à beto, nada demais a apontar.

É verdade que, aproveitando os meus conhecimentos na área e a minha forma mais aberta de ver a moda, lá lhe fui ensinando que há cores que condizem mesmo não condizendo ou que roupa bem ajustada ao corpinho faz parecer que temos menos cinco quilos do que roupa larga.

Quanto à minha forma de vestir, ele já percebeu que há coisas que eu visto que ele nunca pensaria que ficariam bem, mas como ele diz: "Bem, lá disso percebes tu".

Mas também é pessoa para me chamar à atenção quando me dá uma daquelas pancadas "fashion" que nunca deveriam ser concretizadas... como daquela vez que calcei uma soquetezinas com bolinhas, cor de meia de descanso, com uma mini saia e saltos agulha. Mal me viu perguntou-me, em jeito de afirmação/ordem, "Vais tirar essas meias, não vais?!". Ao que eu desatei a rir e a correr em direcção ao quarto, descalçando as meias pelo caminho e dizendo "tu não me deixas ser livre.".

Passados quase 3 anos ele já tem uma visão muito mais vasta do que é a moda e uma mente mais aberta para aceitar estilos diferentes. Ou não levasse ele, todos os dias, com conversas de moda, o desgraçado. Daí que há coisas que já não o surpreendem...

Na Zara, eu peguei num vestido justo, em algodão com alguma lycra. Trouxe um S e o um M, não fosse o diabo tecê-las.

No vestiário, ele perguntou se era normal aquelas costuras assim, meio esfarrapadas. Ao que eu disse que era mesmo assim.

Lá vesti, confesso com alguma dificuldade, o S. Lá estava o meu corpinho, cada vez menos parecido com uma viola, bem comprimido naquele vestido com saia lápis abaixo do joelho. Pareceu-me bem, apesar de me marcar um bocado a barriguita. E é então que ele pergunta:

Isso é mesmo assim? Olhando para o fundo das costas do vestido.

Eis senão quando me viro de costas para o espelho, e vejo um buraco que surgia bem em cima do meu coccix, ao fundo das costas, e que deixava antever o inicio de um dos "decotes" do meu corpito.

Nitidamente que uma senhora, do tamanho L, tinha tentando fazer-se caber naquele apertado vestido, qual irmã má da Cinderela, e não tendo o corpo por onde fugir, o vestido descoseu-se. 

Rimos que nem dois parvos. Sorte ser dia de semana e estar pouca gente na loja. Ele, pela minha figura... aí e tal sou toda boazona dentro deste vestido mas ainda não me apercebi que tenho um decote onde não devia. E eu, por ele achar que esse decote, poderia ser moda.

Passado esse momento humorístico lá decidi não trazer o vestido... o preço, de saldo, não compensava as horas que ia passar na máquina a remendá-lo

Conclusão da história: 
Na moda até pode ser tudo à vontade mas não à vontadinha... até para mim.

7 comentários:

Something about details disse...

Parti-me a rir!!!!

Impressão da Papoila disse...

Pois... nós também! :P

Saltos Altos Vermelhos disse...

LOL isso deve ser o pão nosso de cada dia nos vestiários :)

Ana disse...

Ás tantas a pessoa que experimentou o vestido antes de ti deve ser daquelas que o problema é do vestido e não dela hehehe

PinUp Me disse...

Ahahahahahahhahhahaha

PinUp Me disse...

Ahahahahahahhahhahaha

PinUp Me disse...

E bom fds***