Publicidade

9.2.17

Um vinagre, um azeite, um sal ou mesmo uma pimenta... é raro.

Ontem, dizia-me uma ex formanda "Eu também gosto muito de cozinhar mas você... Faz umas coisas... eu até mostro as fotos à minha irmã e pergunto-lhe "mas como é que ela se lembra destas coisas?"". Eu respondo sempre da mesma forma: "Porque gosto. Porque é feito com amor.". Mas também porque sou curiosa, porque me inspiro noutros cozinheiros. Porque vou absorvendo de programas televisivos de culinária quais os parceiros ideais na cozinha. Por exemplo, eu sei que tomate liga com oregãos. Então exploro essa combinação das maneiras que me for lembrando, por mais tontas que pareçam. Cozinhar com alma é isso... É experimentar, provar coisas diferentes, arriscar (também há receitas que me correm muito mal), não me agarrar ao seguro. Pegar na minha história e usar os ingredientes de sempre e ir escrevendo novas histórias, juntando as histórias dos outros e combinando ingredientes de sempre com os novos, e fabulosos, que vou conhecendo.

Assim, na minha cozinha, raramente há um vinagre, um azeite, um sal ou mesmo uma pimenta. Hoje foi dia de comprar vinagre...


E lá vêm 3 vinagres a juntar ao balsâmico e ao vinagre de tomate de Ribatejo que está no armário dos temperos. Ali, o de fambroesa, é novidade para mim e já estou desejosa de o experimentar... hummm está a nascer uma sobremesa na minha cabeça.

Ler Mais ››

25.1.17

Receita Nova: Bacalhau Espiritualão


Esta receita apresenta-se numa caixa de plástico com as azeitonas mirradas propositadamente. É comida da marmita para o trabalho e por lá não há tempo nem condições para pratos decorados. Já o sabor... Esse não se perde mesmo ao "lume dum microondas".

Ando aqui um bocadinho às voltas a pensar se lhe posso chamar bacalhau à espiritual... Tem cenoura? Sim. E daí ter partido do principio que era o que estava a fazer. Mas como não sei o que leva o resto da receita do prato clásssico e original não sei se é muito correcto dar-lhe essse nome. Assim, para não ferir os mais puristas cozinheiros chamei-o de 

"Bacalhau Espiritualão".

Ingredientes:
Bacalhau Cozido, pode ser o de ontem ou o do inicio da semana que sobrou (2 postas)
6 Batatas Médias Cortadas Em Cubos Grandes.
4 Cenouras raladas, usei fresquinhas com rama mas pode ser das depiladas
1 Dente De Alho
1 Cebola Média em meias rodelas
Azeite q.b.
Natas Ácidas (as que uso são do Aldi)
2 Fatias de Bacon Fumado Cortado em Quadradinhos. 
SalPimenta Preta e Branca e Noz-Moscada q.b.
Manteiga Sem Sal para untar.
Azeitonas para guarnecer.
1 Ovo para pincelar
Sementes de Sésamo

Preparação:
A preparação consiste em fazer o puré de batata, o refogado com o bacon e o bacalhau com as natas ácidas e juntar tudo num tabuleiro para ir ao forno.

Cozer as batatas em água sal e juntar na água as ramas da cenoura (não deixem de fazer a receita porque as vossas cenouras são depiladas). As ramas adicionam um toquezinho verde à receita. Depois de cozidas escorrer a água e as ramas e triturar as batatas com a varinha mágica. Envolver no puré as cenouras raladas (cruas).

Cobrir o fundo de uma frigideira funda com azeite, e fazer um refogado com o alho, a cebola e o bacon. Deixar o bacon alourar e libertar parte das gorduras, tão nhami, e juntar o bacalhau desfiado. Temperar de sal (atenção que se o bacalhau estiver para o salgado reduzir no sal), pimenta preta e branca moída e noz-moscada. Envolver e juntar as natas ácidas até começarem a borbulhar mas sem deixar ferver. Rectificar tempero.

Juntar ao preparado anterior as batatas e as cenouras. Envolver muito bem e dispor num tabuleiro de forno untado de manteiga ou se quiserem que fique mais bonito, em pequeninos recipientes de forno de doses individuais.

Pôr no forno pré-aquecido a 160ºC durante 15minutos. Retirar do forno, pincelar com ovo batido, temperado de sal e pimenta, polvilhar com as sementes de sésamo e guarnecer com azeitonas a gosto. Aumentar a temperatura do forno para os 170ºC e voltar a colocar o tabuleiro agora numa posição mais elevada do forno, para alourar. 

Está pronto quando estiver bem amarelo e douradinho.
Acompanhar com uma salada de tomate e oregãos.

Feito Com Amor
Bom Apetite!


Ler Mais ››

23.1.17

IKEA With A Twist.

2017 ainda agora começou e já temos quarto novo. Como conseguimos em tão pouco tempo e estando os dois a trabalhar? Com muita vontade e IKEA. Só precisámos de um dia, com as medidas do quarto às costas, para nos confundirmos com todas as milhentas opções e diferentes orçamentos, um dia em casa a eliminar as opções impossíveis de caber, no nosso quarto e na nossa carteira, e um dia para voltar ao IKEA levantar tudo. Ah sim... E um dia inteiro, até ao cair da noite, para montar tudo. Os móveis do IKEA, algumas peças decorativas que já tínhamos no anterior quarto e outras compradas nos saldos da Zara Home, e um cadeirão muito antigo que comprei numa loja de segunda mão por €25 foram tudo o que precisei para passar da minha cabeça para a realidade o nosso quarto amoroso, cheio de paz e apontamentos de campo e cidade.

Ainda que tivesse um plafond ilimitado acho que não conseguiria comprar uma mobília inteira escolhida dum catálogo. Faz-me um bocadinho de impressão aquele ar de móveis a condizer... E depois vamos a 3 lojas diferentes e os catálogos são todos iguais (aconteceu-nos). Gosto de móveis com vida que encham uma casa de histórias e não a faça parecer uma casa modelo. Por isso, não é de estranhar que mesmo nos móveis do IKEA goste de dar um ar da graça da Papoila. Não é preciso muito para tornar uma peça banal num móvel especial e único. Foi o que fiz à cabeceira do lado masculino do nosso quarto...


Só tive de juntar uma Lennart , uma caixa de vinho de madeira, cola e pumbas!!

Para dizer a verdade o quarto só estará totalmente renovado quando aquele vermelho ali a espreitar desaparecer. Mas estamos dependentes da disponibilidade dos srs dos arranjos e pinturas. Quando estiver totalmente finalizado ponho aqui mais uns apontamentos. Talvez vos sirva de inspiração para vontades de renovação para 2017. 



Ler Mais ››

13.1.17

Já Tenho Um Portfolio Bem Respeitável e LINDO!!

Cada vez gosto mais de cozinhar. Cada vez sinto mais confiança para experimentar coisas novas. Cada vez faço pratos mais saborosos e lindos. E agora, quando há tempo, os meus pratos deixaram de ser só conduto e acompanhamento.

A melhor forma de o ilustrar é mostrando-vos, se é que não me seguem no Instagram, o que se nascido nesta minha linda cozinha...








Ler Mais ››

12.1.17

Resoluções De Ano Novo CHECK!


Ainda não vamos a meio do mês de Janeiro e, uma a uma, lá vou fazendo CHECK na minha lista de resoluções de ano novo.


  • Dispensa com novas prateleiras, disposição e arrumação. CHECK!
  • Voltar ao ginásio. CHECK!
  • Aspirar o carro. CHECK!


Por esta altura, estão vocês: "mas isso não são grandes resoluções de ano novo..."

E eu respondo: Ai são pois! Este ano optei por resoluções realistas. As outras nunca se realizam mesmo. Mais vale comprometer-me com pouco e fazer check numa lista imensa de desejos que só dependem de mim, de alguma disciplina e de uns poucos euros que tentar realizar sonhos que dependem dos outros, nomeadamente dum certo Deus lá no céu, ou de muitos euros, como a ida à Austrália.

Aposto com vocês que 2017 será um ano de muitos CHECKs para mim.
Ler Mais ››

1.1.17

Música Papoilar #1/2017

14 horas depois do inicio do novo ano só desejo uma coisa para as restantes 8770 horas, coragem!
Desta coragem boa que fala a música Get Up de Tom Enzy Feat. Mikkel Solnado.



Time keeps flying And you keep on trying You gotta get up, get up, get up

And do it Good Life is precious Full of treasures You gotta get up, get up, get up And live it out live it out
...
Maybe It's meant to be This constant struggling You gotta get up, get up, get up And make it real Somehow i believe Theres a reason for everything You gotta get up, get up, get up And let it go Time keeps flying And you keep on trying You gotta get up, get up, get up And do it Good Life is precious Full of treasures ohhh You gotta get up, get up, get up And live it out live it out
Ler Mais ››

8.12.16

"Bolachinhas de Laranja com Sementes de Papoila"

No Inverno ligo o forno quase todos os dias da semana. Ou são as castanhas, ou a batata doce, ou a carne assada, ou as batatas alouradas... Sabe tudo a conforto que é o que se quer nesta estação de frio. E acaba também por ser uma forma de aquecer a casa e até secar aquela roupa que teima em não secar, poupando no aquecimento central e alimentando o coração também. Na semana passada experimentei fazer as minhas primeiras bolachinhas com sementes de papoila. E uma vez que estavam tão boas, dizemos nós e disseram as outras cobaias, repeti na terça-feira. A pedido de muitas famílias, aqui vai a receita das... 

"Bolachinhas de Laranja com Sementes de Papoila"


Ingredientes:

 3/4 de chávena (grande de chá) Açúcar amarelo;
1/4 de chávena de manteiga doce*;
1 ovo inteiro;
1 colher de sopa de raspa de laranja;
chávena e 1/4 de farinha fina sem fermento;
1 colher de chá, bem cheia de fermento em pó**;
Uma pitada de sal;
1 colher de sopa de sementes de papoila.

Preparação:

Todos os ingredientes húmidos devem estar à temperatura ambiente.
Misturar com os dedos o açúcar com a manteiga até se unirem os ingredientes. Se o tempo estiver muito frio, façam como fiz, e coloquem a taça onde estão a misturar os ingredientes dentro de uma outra taça maior com água quente (uma espécie de banho maria). Bater com a batedeira durante uns minutos até obter uma mistura esbranquiçada e fofa. Juntar o ovo e a raspa da laranja e bater por mais meio minuto (ter a certeza que fica tudo muito bem envolvido com a ajuda de uma espátula de silicone). Reservar.

Numa outra taça juntar a farinha, o fermento e o sal. Misturar muito bem. Adicionar esta mistura em pequenas porções, de cada vez, ao preparado anterior e envolver com a espátula (pode ser colher de pau). Juntar as sementes de papoila e envolver.

Encher um saco de pasteleiro** com a massa com um bico de saída larga. Forrar um tabuleiro de forno com folha de papel vegetal e usar o saco para fazer pequeninos "beijinhos" (deixando espaço para que cresçam um bocadinho, cerca de 2cm). 

Colocar no forno pré-aquecido a 170ºC.

Estão prontas quando os cantinhos ficarem dourados. Retirar o tabuleiro do forno, deixar arrefecer uns minutos e depois colocar sobre uma grelha (eu uso a dum tabuleiro de fazer assados no forno, mas podem usar a grelha do microondas ou outra que possam improvisar para a ocasião) para que arrefeçam completamente ficando estaladiças.

E está feito. São mesmo deliciosas. São docinhas ao ínicio, mas no final é o sabor das laranja que perdura e as bolinhas estaladiças das sementes de papoila dão-lhes uma piada extra. 

Quando damos por ela só há o fundo da taça.

* a manteiga do E.Leclerc do pacotinho azul é a melhor.
** não há melhor que o Royal.
*** se não tiverem saco de pasteleiro, usem uma colher de chá fazendo montinhos de massa no tabuleiro.
Ler Mais ››