Publicidade

9.5.15

Mulheres VS Homens

Hoje falo de homens muito especiais, os homens que trabalham em obras. 


Não sei se é de inspirarem muito cimento, se porque lhes caí com frequência tijolos no lobo frontal ou do cheiro da tinta mas há qualquer coisa que acontece a homens normalíssimos (bem, pelo menos grande parte deles) quando trabalham nas obras que os deixam... parvos abrutalhados!

Desde que entram na obra até à hora de saída, quando se separam dos seus colegas operários das obras, tornam-se em energúmenos, babados por qualquer rabo de saia.

Não é por acaso que os "melhores" piropos são invenção dos especialistas da construção civil. Piropos que envolvem piadolas e trocadilhos com a nossa beleza, flores e os nossos pais. E quem não se lembra de ouvir o tão criativo piropo "Oh estrela queres cometa?"? Certamente criado por um operário que aos fins-de-semana tem um hobby em astronomia.

À frente da minha casa estão a construir um condomínio e eu até já evito ir ao café em determinadas horas. São alturas proibidas a hora do almoço ou o meio da tarde, quando alguns decidem que beber uma imperial não aumenta o risco laboral de trabalhar no meio de martelos, cimento e tijolos. Não que me tirem bocado, (felizmente que os olhos não comem), mas porque não há paciência!

Para além de começarem com piadinhas, seguidas de risadinhas, numa cena igualzinha aos miúdos de 13 anos a babarem-se para a professora, boazona, de físico-química, olham para nós, com preferência óbvia por certas partes do corpo, de forma descarada e rebarbada.

E pior... Perdem completamente a noção do perigo. Nem a visão do meu 1,90m, 96kg, e sobrolho feroz de marido os consegue fazer desviar o olhar do meu rabo. É como se alguma coisa se apoderasse deles. Perdem o controlo nos músculos do pescoço e nas órbitas oculares e mesmo que tentassem desviar o olhar o espírito tarado da  construção civil, não lhes permitisse fazê-lo.

E diz o meu Rui: "E por acaso, tu até és boa (é um amor, eu sei) mas mesmo que fosses uma aventesma seria igual." E ele até fala com conhecimento de causa, que na sua adolescência trabalhou a acartar baldes de massa e não ficou imune ao espírito tarado, da construção civil. Muita assobiadela, a boazonas e aventesmas, ele lançou nos seus tempos de operário da construção civil.

1 comentário:

Impressão da Papoila disse...

Obrigado my Love por só me dares 96 kg ;)