Publicidade

11.6.15

A colher de pau é minha, mexo com ela o que quiser #4

Na minha opinião a melhor comida é aquela que nós mais gostamos. Uma das coisas que aprendi durante uma aula de análise sensorial de lactícinios foi que o Roquefort era o melhor queijo do mundo, por ser assim considerado pelos melhores provadores do mundo. Eu na altura, pequenina de maturidade, acreditei naquilo e fui provar o Roquefort... Afinal era só o melhor queijo do mundo. Na altura, paguei um dinheirão por 5cm de queijo e... Não gostei nada do queijo. E fiquei triste por não gostar do melhor queijo do mundo.

Agora, mais crescida na maturidade, já percebi, há algum tempo, que os melhores sabores do mundo são aqueles que nós mais gostamos. Por exemplo, para mim o melhor queijo do mundo é o Queijo da Serra.

E se para alguns é um robalo de mar escalado e grelhado em carvão para outros são almôndegas... As preferidas do meu marido.

Como cozinheira sou um bocadinho inconstante... As receitas que crio dependem da minha despensa, da minha vontade e da estação do ano. Uma mesma receita pode ter milhentas variações desde que o resultado final fique maravilhoso. As minhas receitas de almôndegas são das coisas preferidas do Rui e hoje decidi partilhar uma delas com vocês. Como estamos na época dos Santos e a minha sogra me ofereceu um manjerico decidi adicionar um bocadinho desse espírito na minha receita de hoje.


"As minhas almôndegas com cheiro a manjerico"



Para as almôndegas
800g de carne de vaca picada;
2 salsichas frescas;
1 ovo;
1 "papo-seco" ralado;
2 c. chá de sal;
colarau picante q.b.;
pimenta q.b..

Para o molho
1 fio de azeite
1 c. de sopa de manteiga sem sal ou margarina;
1 dente de alho picado;
1 lata de tomate picado;
500ml de água a ferver;
1 caldo de galinha Knorr;
1 cálice de vinho do Porto branco;
5 molhinhos de manjerico;
1 folha de louro;
malaguetas a gosto;
pimenta q.b.;
sal q.b..


Num recipiente largo e fundo misturar a carne picada com o interior das duas salsichas frescas. Aqui têm de usar as mãos para que as carnes fiquem bem misturadas. 



Depois de descobrir que na minha despensa jazia um pão ralado, com vários meses de bolor em cima, tive que improvisar. Sempre que vos faltar o pão ralado e não tiverem muito tempo este é um excelente truque. Partam aos pedaços um "papo-seco" (carcaça em Lisboa) para um prato e levem-no por 2 minutos ao microondas. Retirem-no e coloquem-no a arrefecer durante 1 minuto até que o pão fique duro. Piquem o pão e voilá... Pão ralado.



Adicionem à carne o pão ralado, o ovo, o sal, o  colarau picante e a pimenta a gosto.


Misturem muito bem usando as mãozinhas. Depois, peguem na mistura resultante e façam bolinhas usando as palmas da mãos, e polvilhando com farinha as bolas de carne. O tamanho fica ao vosso critério. Já sabem que se forem grandes, como as que eu fiz, terão de ficar mais tempo a cozinhar e as mais pequenas menos. O que importa é que tenham todas mais ou menos o mesmo tamanho. Também não precisam de estar uma hora de volta da carne para fazer bolinhas perfeitas, pelo contrário. Almôndegas é um prato rústico e fica mais bonito se as bolas de carne ficarem meio toscas.



Nota muito importante: Quando se trabalha carne crua com as mãos é muito importante ter sempre, durante o processo todo, as mãos muito bem lavadas. Ajuda se reunirem em pequeninos recipientes todos os ingredientes que necessitam para misturar na carne. Lavar as mãos de mais é coisa que não existe durante esta tarefa. E sequem sempre as mãozinhas com papel de cozinha. Tudo para evitar uma tal de intoxicação alimentar.

Numa panela larga e funda deitar um fio de azeite e a manteiga, colocar as almôndegas a alourar. Quando estiverem douradinhas reservem-nas num recipiente.


Na gordura resultante da fritura juntar o dente de alho picado. Assim que o alho começar a crepitar, sem ficar dourado, adicionar a lata de tomate picado, o caldo de galinha (que fazem adicionando um caldo Knorr de galinha a 500ml de água a ferver), o cálice do Vinho do Porto, a malagueta, o louro e a pimenta e deixem levantar fervura. Mergulhar as almôndegas no molho e acrescentar uns 5 molhinhos das folhas mais novas de manjerico. Deixar cozinhar por 15 minutos. Provar durante o processo para ver se é necessário rectificar os temperos.

Para acompanhar façam o belo e simples do esparguete e voilá!


Acompanhem com um vinho fresco e doce, que combine com o picante do molho. Para nós o vinho rosé, D.O.C., da Adega de Borba é o parceiro perfeito das minhas almôndegas. Muito frutado, com um aroma e cheiro a morangos e que deixa um sabor docinho na boca que combina na perfeição com o quente e picante do molho das almôndegas. 


Bom apetite!

1 comentário:

Sara disse...

óptimo aspecto!!
http://amulhereamoda.blogspot.pt/