quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Música Papoilar #8

E a versão da dinossaura do soul mais que Diva mais que formidável Aretha Franklin, do Rolling In The Deep da Adele, com um cheirinho de mistura de Ain`t No Mountain?


E aqui a arrasar no Ed Sullivan Theater...




Nem melhor nem pior. Só fabuloso!

A mim o álbum está-me a dar o alento que eu precisava para mudar o guarda-roupa para modo Outono-Inverno.

Ler Mais ››

Finalmente boas notícias para os "passadores de recibos verdes"

O que é muito raro por estes dias, ou melhor dizendo nos últimos anos em que tudo o que é notícia gira à volta da crise.


A razão da minha alegria? O ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, o tempo que se deve perder a anunciar este ministro?!, o Shôr Mota anunciou que os "passadores de recibos verdes" vão, a partir de Janeiro de 2015, ter direito ao subsídio de desemprego. A noticia aqui.



Eu sou uma dessas passadoras de recibos, sim, porque recuso designar-me de  trabalhadora independente. 



Independente do quê?! 


Os recibos verdes até podem significado de independência para a malta que faz uns trabalhos aqui e ali para diversos adquirentes de serviços - os verdadeiros trabalhadores independentes - mas para os outros... que me atrevo dizer são a maioria... já é mais subjectivo.
Quem é que por aí, que como eu, trabalham quase o ano todo para a mesma pessoa colectiva e fazem um trabalho regular, com horário normal, 21 dias por mês, tal contratados. Sendo a ÚNICA coisa que vos distingue desses, ser: passarem um recibo verde no final do mês, pagarem um dinheirão à segurança social, fora 21,5% de IRS, não terem direito a férias ou subsídios de alimentação, férias e de Natal?!


É isto a independência?!



Ah sim, nada de direito a subsidio de desemprego quando de um mês para o outro ficamos sem trabalho e se por acaso ficarmos doentes, azar... nada de direito a baixa, a menos que em em vez de pagarem um dinheirão à segurança social paguem para cima dum dinheirão.



É uma independência danada né?! 



Faz-nos sentir um bocadinho como trabalhadores de segunda... até que surge, finalmente, uma boa notícia. Esta, a de saber que pudemos contar com o subsídio de desemprego naqueles meses em que não há trabalho.



Se calhar sou demasiado ingénua, mas acho que dependentes ou independentes não deveríamos ter os mesmos direitos? Afinal de contas os deveres são os mesmos - trabalhamos, pagamos prestações à segurança social e pagamos impostos.


Ler Mais ››

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Este calor fora de horas só me dá vontade de gritar: "Bem que podias ter vindo antes de arrumar, nos confins da sapateira, as sandálias!!!"
Ler Mais ››

quinta-feira, 16 de Outubro de 2014

"Ai Queramba!!"

É tudo o que me apraz dizer quando olho para esta capa do catálogo da  H.E. by Mango 



Lá está outro macho que fica, ainda, melhor com a idade. Raça malvada! Só apetece dar-lhe estaladas na cara.
Ler Mais ››

Olha a Papoila!

Lembram-se da sainha que vos disse que ia usar nos meus anos?
Pois que a saia não chegou a tempo e só a consegui usar agora... 



Saia, Mango; Sweater, Pull&Bear; Mala, Mango; Botins, Zara; Colar, Springfield.

As saias de napa são uma peça obrigatória esta estação. Sejam elas curtas, como a minha, direitas ou justas pelo joelho, ou ainda plissadas. Até podem ir buscar ao roupeiro da vossa tia aquela saia de pele que ela usava nos anos 90. Preto é uma opção segura mas podem arriscar um bocadinho mais e comprar uma verde, bordô ou mesmo naquela cor de caramelo que apetece comer.

Podem ser combinadas com quase tudo. É tudo uma questão de contenção. Eu combinei com uma sweater mais descontraída mas ficaria, e vai ficar, igualmente bem com uma camisa, ou mesmo com um camisolão que deixe só a espreitar a bainha da saia.

Ler Mais ››

quarta-feira, 15 de Outubro de 2014

Papoilices #3

Ainda na temática da cozinha e do aproveitamento das caixas de vinho, eis a minha nova sugestão.

É um dois em um, porque serve de arrumação extra e decoração.

Já tinha comprado os postais que usei há muitos meses. Comprei porque me apaixonei pelas imagens e logo a pensar que depois me haveria de lembrar de fazer alguma coisa gira com eles.

Quando me deparei com duas caixas de vinho e louça, que comprei numa feira de velharias, que não cabia nos armários, foi quando surgiu a ideia.

Vão precisar da caixa de vinho, dos postais, de cola em spray, a peçazinha (não sei como se chama) para pendurar a caixa na parede, pregos "amigos dos vizinhos", um martelo, uma fita métrica, uma caneta ou lápis e fita adesiva dupla.



Passo 1 - Colocar a tal "peçazinha" nas costas da caixa. Centrar bem a peça, utilizando uma régua. Rascunhem à vontade que ninguém vai ver depois.


Passo 2 - Posicionem os postais como preferirem. Tentem as várias possibilidades e escolham aquela que vos der na gana.


Passo 3 - Ponham a cola nas costas dos postais e colem-nos nos seus respectivos sítios. Eu pus os meus a olho que tenho um bom e direito olho. Mas se for o caso de serem mais pitosgas, usem uma régua para terem a certeza que os postais ficam direitinhos.

Passo 4 - Preguem o prego, com muito jeitinho e delicadeza, na junta dos azulejos. Pendurem a caixa, enfeitem com o que vos apetecer.

Passo 5 - Cortem 2 pedaços de fita adesiva dupla e ponham nas costas da caixa, nos cantos inferiores. Assim, a vossa caixa não irá baloiçar de um lado para o outro sempre que lhe tocam.

Et voilá!!



Os postais podem ser substituídos por pinturas ou então façam como eu que, numa caixa usei os postais e noutra uma aguarela que me tinham oferecido.

Testem os locais onde querem pôr as caixas antes de pregarem os pregos. Para isso, vão precisar de ajuda extra. Ou seja, um jeitoso de 1,90m, com braços fortes e grandes que vos segure nas duas caixas contra a parede, enquanto vocês decidem as posições finais. 
Ler Mais ››

terça-feira, 14 de Outubro de 2014

Música Papoilar #7

Calminha, amorosa e deliciosa, esta "Mais ninguém", da Banda do Mar.


Adoro muito!
Ler Mais ››