segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Está visto o que eu visto... a celebrar o amor.

Primeiro casamento do ano que resultou num dia perfeito cheio de amor, muita gargalhada e sorrisos, umas quantas lágrimas e uma festa que foi, como deve sempre ser, à imagem dos noivos... apaixonada, alegre, surpreendente e carinhosa. A sensação do dia foi a alegria a percorrer-nos o corpo o dia inteiro. Até calhou bem ter escolhido um modelito a condizer com o espírito alegre e divertido do dia.

Afinal o verde/amarelo fluorescente do meu vestidinho, que tanto trabalho me deu a acessorizar ficou perfeito.

Um pandan que não foi propositado.

Com a madrinha mais linda.

Com a minha MAS depois de mais de 30 minutos de fotos prontas a partilhar nas redes sociais... afinal estamos no ano 2015.

Digam lá que não parecemos uns passarinhos tirados da amazónia.

Momento bem apanhado do dia.

A mala roxa acabou por ficar perfeita... também pudera depois da trabalheira que me deu.

Um dia tão bonito e tão bem passado que não apetecia vir embora.
Ler Mais ››

sábado, 15 de agosto de 2015

Somos todas lindas mas...



Uma rapariga, um rosto, um corpo e 18 percepções de beleza.

Eu já sabia que cada cultura tem o seu ideal de beleza, basta olhar por estes dias para os milhares de turistas no nosso país e perceber como são diferentes de nós fisicamente, na forma de se maquilharem ou vestirem. Só não sabia que essas diferenças poderiam ser tão... diferentes (à falta de um termo melhor).

Um estudo pôs à prova esses diferentes conceitos de beleza e pediu a 18 designers gráficos, todos mulheres, de 18 países diferentes para trabalharem em photoshop a fotografia de uma jovem até obterem o ideal de beleza para as suas culturas. O resultado é impressionante...

Eu até me dava bem na Itália, com 2 meses de ginásio em cima, e na Sérvia, com quilos de maquilhagem na tromba, ou até na China, com menos uns 10kg e com um transplante de rosto. Já para a Colômbia tinha que comer muita carcaças até que um colombiano me achasse minimamente sexy.




















Tirando as, óbvias, diferenças de peso achei graça à diferença nas cores de cabelo, ao pormenor de nuns países terem vestido à modelo tangas e noutros cuecas da avó, ou ainda da escolha dos sapatos.

Um estudo que nos põe a pensar que afinal somos todas lindas pudemos é estar a viver na parte errada do globo.

Ler Mais ››

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Decadente!

Afinal já existe a tal clutch UAU que eu tanto procurava para o tal casamento... Uma decadência de clutch. Pena que na realidade não é uma mala mas sim um perfume que parece uma mala.

Há perfumes que valem pelo frasco e este, ainda que eu venha a descobrir que tenha um aroma de pôr as células sensoriais do meu nariz a fugir, merece ser comprado e exposto nas cómodas dos nossos quartos como obra de arte.




É só a coisa mais linda do mundo inteiro (dito com aquela voz tão cheia de emoção que roça um estado de quase pré-loucura)
Ler Mais ››

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Há coisas que me irritam


Há coisas que me irritam, principalmente aquelas que envolvem grandes verdades, não, sobre comida. A minha preferida: "Não devíamos beber leite. Sabiam que somos os únicos mamíferos que bebem leite depois da fase de amamentação?"

A sérios, a sério mesmo?! No meu mundo os outros mamíferos não bebem leite em adultos mas também não comem bife de mostarda com batatas fritas e esparregado, ou valentes caldeiradas, ou ainda deliciosas mousses de chocolate. Por isso, esta treta, que o é, de usar factos totós para justificar certas dietas me irrita tanto. Acho que amanhã vou beber água directamente da torneira do bidé e correr atrás de varejeiras e comê-las esparrachada no chão da sala só porque é assim que os meus gatos fazem... Não!

Enquanto isso os produtores de "não leites "de aveia, soja e similares e de tudo e mais qualquer coisa sem lactose vão enchendo os bolsos à conta dos crédulos.
Ler Mais ››

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Música Papoilar #21

Daquelas onde procuro beber as palavras para me dar força porque nem todos os dias são radiosos ou felizes... E quem diz o contrário está a mentir com todos os dentes, dos caninos aos sisos.




E se, hoje, for um daqueles dias felizes e radiosos para vocês ouçam só a melodia que é um raio duma música bem sensual.
Ler Mais ››

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Wanted, dead or alive, clutch UAU!


Dois casamentos... dois modelitos inacabados. Estou naquela fase em que já tenho a roupita toda para os dois casamentos mas faltam-me a clutch para um, o deste mês, e os sapatos para o outro, o de Outubro. 
Quanto aos sapatos não há-de ser complicado, já que até Outubro muitos hão-de ser os candidatos para acasalar com o look anos 80 que tenho preparado Quanto à mala de mão "estasse" pior... Verdade verdadinha era que se quisesse encontraria, cá por casa, pelo menos umas três malas fantásticas para fazer "pandan" com os meus modelitos matrimoniais. Afinal de contas tenho uma dezenas de clutchs básicas, daquelas que dão com tudo, mas está-me mesmo a apetecer um bocadinho de UAU para levar na mão.

Na loucura aproveitei os saldos e comprei uma UAU por menos de um terço do preço mas só ficarei convencida de que é a tal quando a vir junto ao vestido verde néon. Sim néon! Já estou é a rezar para que quando a experimentar não ficar a achar que os sapatos, que já tenho, não ficam nada bem e sinta a necessidade de comprar mais uns sapatitos.


O resultado do vestido néon, com a clutch UAU e os, quase de certeza, sapatos de tachas? Dia 29 de Agosto aqui.
Ler Mais ››

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Nunca é tarde

Há poucos filmes simples com a capacidade de me deixarem agarrada, quase sem pestanejar, ao ecrã e que me façam rir e chorar com uma naturalidade de fazer impressão. Porém, isso já parece tudo mais normal de acontecer se vos disser que o elenco inclui Al Pacino, Annete Bening, Christopher Plummer (para mim o eterno Capitão Von Trapp), Bobby Cannavale ou Jennifer Garner. O filme? Danny Collins Nunca é tarde


É daqueles filmes que passamos o tempo a verbalizar ou só a pensar "este homem é mesmo um "ganda" actor!". É a história de um cantor folk americano, que passados 40 anos continua a viver dos êxitos dos seus primeiros anos, envolvido em excessos e numa vida infeliz. O rumo da história muda quando recebe de presente uma carta dirigida a si, escrita pelo próprio do Jonh Lennon há 40 anos atrás. Este é o bocadinho verdadeiro do filme... Isto aconteceu mesmo com um cantor britânico. E depois? E depois vão ver porque merece mesmo. Filme 5 estrelas, sem pestenajar.
Ler Mais ››