terça-feira, 22 de Abril de 2014

Mesmo "Miracle Cream"!

E não é que parece mesmo milagre?!

Coisa que não deve ser, cheira-me mais a anos de pesquisa, que esta malta da cosmética não dorme em serviço.

A primeira impressão que tive com o Miracle Cream da Garnier foi de a pele ficar mais luminosa, mesmo depois de colocar a base e o pó solto. É importante reafirmar que ficou mais luminosa, diferente de oleosa.

Uma semana depois, de estar a usar o creme, notei outra diferença. A pele ficou mais lisa ao toque, o que depois percebi ao espelho que deveria ser consequência dos poros estarem mais fechados.

A última vez que me vi com poros tão pequeninos foi quando me vi pela primeira vez no reflexo dos óculos Ray Ban aviator do meu pai, estava eu no colo dele, no ano de 1981 (ano em que nasci). Não é exagero, acreditem... agora quando olho para o nariz, despido de maquilhagem, vejo a minha pele lisa e não um conjunto de pontos.

Também o "grão" da pele está mais pequeno. E há dias em que só ponho base no queixo e zona em redor do nariz, porque já não acordo com a pele com tantas manchas vermelhas.

Ontem reparei noutra coisa, as minhas sardas, que eu adoro, parece que ainda se notam mais. Não que tenha mais sardas, mas como a pele está mais lisa e uniforme as sardas destacam-se.

Nos primeiros dias só tive que aprender como e em que quantidade aplicar o creme. De inicio abusava na quantidade e quando dava por mim tinha manchas cor de laranja na cara... erro de aplicação.

A quantidade necessária é bem pequenina... do tamanho duma pérola, diria. Assim, a pele absorve o creme todo e fica impecável.

Quanto às rugas... vou-lhe dar mais um tempo para falar dos resultados. Parece-me que estão menos fundas mas pode ser só da euforia dos primeiros, tão, bons resultados.

Já me convenceu a comprar o Miracle Cream para os olhos.

Aconselho o Miracle Cream com todas as forças, da pele do meu rosto, mais lisinha, luminosa e feliz.

domingo, 13 de Abril de 2014

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Hoje apeteceu-me...

Num dia tão primaveril, só apetecia cor, flores e descontração em cima de saltos agulha...

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

As franjas estão na moda...

ela é em malas, casacos, calças de ganga e botas (claro está, que nos sapatos vale tudo).
Estas botas têm franjas em bom, que as há por aí muito fraquitas, em bonito, que as há por aí duvidosas, e em português, que a economia precisa.

São Catarina Martins, como é fácil perceber...

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Miracle Cream da Garnier... será?!

Já lá vai o tempo em que eu pensava como era disparatado tanta oferta de cremes faciais.

Isso passou-me com a chegada das primeiras rugas.
Só vou nos 32 anos e já estou na fase que experimento tudo o que me prometa menos uma linha no rosto.

A Garnier, lança o Miracle Cream, na versão rosto e olhos. 





É daqueles cremes que promete um efeito imediato, com uma melhoria na textura, luminosidade e correcção de eventuais desequilíbrios de cor. Um pouco como uma base.
A médio prazo, o que em dias serão 28, reduz rugas e ridículas. E a longo prazo, actua ao nível das rugas, manchas, uniformidade e luminosidade da tez, assim como firmeza da pele.

E ainda tem um FPS 20, o que para mim é essencial.

A questão é: será que resulta?

Não sei, mas o desespero moderado dos 32, obrigam-me a experimentar.


Quem já experimentou?

segunda-feira, 31 de Março de 2014

O meu apêndice traseiro deixou de tomar decisões.

Isto de andar a fazer umas pedaladas está a dar resultado nas coxas e no bumbum mas melhor ainda no cérebro...

Antes, era um esforço para descolar as "bimbas" do sofá, e arranjava sempre milhentas desculpas para não ir, agora passa-se exactamente o contrário.

Hoje, cheguei do trabalho às 19:15, comi o iogurte com cereais e morangos ao lanche, sentada no sofá, e só pensava: "está a ficar tarde. A ver se me despacho para fazer, nem que seja, 15 minutos de bicicleta".

E assim, duma semana para a outra, o meu apêndice traseiro deixou de tomar decisões. Agora o meu cérebro ressaca por falta de bicicleta.

Confirma-se... o que custa é começar.

Ah sim, quase me esquecia, no dia do julgamento não optei pela roupa certa...

Fui eu daqui para Lisboa, o que normalmente significa que após 30km já estou eu cheia de xixi, e quando cheguei ao campus justiça, já estava quase a explodir.

Haviam duas receções. A das testemunhas, arguidos e curiosos, com uma grande fila, e outra com uma senhora a olhar com ar fofinho. Lá fui eu ter com a senhora, de pernas apertadas (eu, não a senhora)... 
"Bom dia. Há uma casa de banho neste piso?"
"Bom dia Dra...."
"Eu não sou Dra."
"Sra. advogada?!"
"Não. Mas precisava de ir à casa de banho."
"Pois... nesse caso tem de ir para a fila."

Quem me manda ser uma menina e não ter dito logo que era juíza.

Depois houve o momento em que o segurança me olha para o interior da mala e pergunta o que são os frasquinhos... eram os meus frasquinhos de verniz. Achava eu que ainda tinha tempo para pintar a unhinha.

Não vos disse que não sabia o que vestir?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...